Compare your Top 3 Bitcoin Exchanges
Choose Provider 1:
Choose Provider 2:
Choose Provider 3:
Provider
Pro and Contra
Has been hacked?
Fees
Security
Trading
recomendação
80 80
Pro
  • Taxas muito baixas
  • Uma miríade de moedas para trocar com
  • Sem atrasos no site
Contra
  • Falta o telefone de apoio ao cliente
  • Foi hackeado uma vez (mas compensou os seus utilizadores)
  • Diferentes domínios para usuários dos EUA, europeus e do resto do mundo
Has been hacked? Sim (em 7 de maio. 19) Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
No
Trading Fees:
0.10%
Security Está bem Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
EUA Amigável!
88 88
Pro
  • Taxas baixas
  • Excelente liquidez nos mercados USD e EUR
  • Margem e negociação de futuros suportados
  • Somente plataforma de intercâmbio selecionada para apoiar a investigação no Monte. Bitcoins roubados da Gox
Contra
  • Às vezes, há problemas de tempo de atividade quando o mercado esquenta
  • As verificações demoram
  • Nenhum depósito ou saque em cartão de crédito
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
Sim, em alguns casos
Withdrawal Fees:
Yes
Trading Fees:
0.00%-0.26%
Security Excelente Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? até 5x
Visit Website
Alavancagem 100x
86 86
Pro
  • 2FA garante a segurança
  • Alavancagem de 100x disponível em 5 moedas criptográficas
  • não é necessário KYC
Contra
  • sem API de negociação, aplicativo móvel ou programa de PC para fazer a negociação fora do site
  • ainda não amplamente conhecido
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
Grátis
Withdrawal Fees:
Grátis
Trading Fees:
0.01%-0.05%
Security Bom Trading
Futures? No
Derivatives? Yes
Margin Trading? até 100x
Visit Website
88 88
Pro
  • low fees
  • futures trading options
  • leverage up to 100x
Contra
  • Falta de experiência real do usuário on-line
  • Nenhuma atividade de mídia social
  • Usuários dos EUA são excluídos
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
No
Trading Fees:
-0.02%-0.07%
Security Bom Trading
Futures? Yes
Derivatives? Yes
Margin Trading? até 100x
Visit Website
Cartão de crédito
80 80
Pro
  • Alto volume de negociação
  • Transferência Bancária e Cartões de Crédito
  • Opção de compra instantânea de moedas
Contra
  • Prémio nos preços
  • Respostas enlatadas do suporte
  • O processo de verificação é um pouco exigente
Has been hacked? Sim, hackeado em 2013 Fees
Deposit Fees:
Yes
Withdrawal Fees:
Yes
Trading Fees:
0.16%-0.25%
Security Bom Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? Yes (Cexbro)
Visit Website
Alta Alavancagem
84 84
Pro
  • Negociação de futuros e derivativos disponíveis
  • Alta alavancagem
  • Muitos recursos avançados
  • Boa liquidez
Contra
  • Não para iniciantes
  • Taxas elevadas de retirada
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
No
Trading Fees:
-0.05%-0.25%
Security Bom Trading
Futures? Yes
Derivatives? Yes
Margin Trading? até 100x
Visit Website
86 86
Pro
  • sem comissões comerciais
  • sistema de prêmios após negociações abertas
  • oferece para negociar forex e ouro muito além do criptográfico
Contra
  • nenhuma presença on-line real da empresa
  • Os usuários dos EUA não são aceitos
  • só é fornecido contato por e-mail
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
No
Trading Fees:
0.00%
Security Good Trading
Futures? No
Derivatives? Yes
Margin Trading? até 50x
Visit Website
Volume Alto
76 76
Pro
  • Alta liquidez em USD
  • Taxas baixas
  • Pacote completo de tipos de ordem, negociação de margem e mercado de empréstimos
  • Hack foi resolvido de forma profissional e inovadora, pagou todas as perdas do hack (!)
Contra
  • Não é uma empresa transparente
  • Foi hackeado várias vezes
  • Situação pouco clara com o USDT (Tether)
Has been hacked? Yes Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
Não, exceto transferências bancárias
Trading Fees:
0.10%-0.20%
Security Está bem Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? até 3.33x
Visit Website
84 84
Pro
  • Negociação segura e descentralizada
  • Árbitros
  • 2- segurança de 2 de 3 multisig em comércios
  • Ampla seleção de moedas FIAT e Crypto
Contra
  • Eles precisam de publicidade mais agressiva.
  • Desenvolvimento mais ativo
  • Eles precisam de se juntar a outras empresas.
  • Taxas elevadas
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
Yes
Trading Fees:
0.001% - 0.009%
Security Excelente Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
80 80
Pro
  • Fácil criação de conta
  • Sem depósito mínimo
  • Site interactivo fantástico
Contra
  • Não regulamentado
  • Algumas críticas negativas
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
None
Withdrawal Fees:
No
Trading Fees:
None
Security Excelente Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? até 100x
Visit Website
90 90
Pro
  • - muitas moedas e formas de pagamento suportadas
  • - modelo de repartição de taxas
  • - transparência sobre o histórico da empresa
Contra
  • - a fiabilidade do serviço depende dos vendedores da plataforma
  • - demasiadas opções à escolha podem paralisar os utilizadores
  • - preços elevados de criptografia
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
Grátis
Withdrawal Fees:
Free
Trading Fees:
0.70%-1.00%
Security Médio Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
72 72
Pro
  • Mais de 140 moedas disponíveis
  • Aceita Cartões de Crédito
  • 2FA Segurança
  • Sem verificação para criptograma a criptográfico
Contra
  • Alta taxa de transação de 0,5%.
  • Comentários negativos da comunidade
  • Ainda há muito a provar (uma empresa bastante nova)
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
No
Trading Fees:
0.50%
Security Bom Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
80 80
Pro
  • Site fácil de usar
  • Grandes características
Contra
  • O processo de verificação é longo
  • Focado no mercado argentino
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
Yes
Withdrawal Fees:
$20
Trading Fees:
0.50%-1.00%
Security Excelente Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
Fácil de usar
76 76
Pro
  • Alta liquidez
  • Cartões de débito e crédito integrados
  • Novato amigável
Contra
  • Principais violações da privacidade dos usuários
  • Taxas de negociação altas por < $50k de negociação / Mês
  • Segwit ainda não suportado ( = taxas TX elevadas )
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
Yes
Withdrawal Fees:
Yes
Trading Fees:
0.50%-0.05%
Security Excelente Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
82 82
Pro
  • Taxas baixas
  • Uma grande variedade de métodos de pagamento e moedas aceites, pelo menos em teoria
  • Fácil de se juntar e começar a andar
Contra
  • Revisões mistas
  • Apoio ao cliente lento
  • Comissões elevadas cobradas (pelo vendedor) pela compra de Bitcoin com métodos incomuns ou em moedas que não sejam a corrente principal
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
No
Trading Fees:
0.00%-1.00%
Security Excelente Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
Bom Volume
70 70
Pro
  • Modo Demonstração
  • Alto volume comercial
Contra
  • Verificação Dura
  • Muitas queixas de usuários
  • As taxas são elevadas
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
Yes
Withdrawal Fees:
Trading Fees:
0.10%-0.20%
Security Excelente Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? até 3x
Visit Website
80 80
Pro
  • Boa reputação
  • Alto volume e liquidez
  • As ligações no sector conferem-lhe legitimidade adicional
  • Fácil de usar e rápido
Contra
  • Taxas de negociação altas se você estiver negociando volumes mais baixos
  • Comentários mais negativos no passado recente
Has been hacked? Sim, em Janeiro de 2015 Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
No
Trading Fees:
0.5%-0.10%
Security Muito Bom Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
Pro
  • N/A
Contra
  • N/A
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
TBD
Withdrawal Fees:
TBD
Trading Fees:
N/A
Security N/A Trading
Futures? No
Derivatives? N/A
Margin Trading? No
Visit Website
80 80
Pro
  • Troca "Real" Descentralizada
  • Anônimo
  • A criação da conta é rápida e muito fácil (não é necessário para completar o KYC/AML)
  • Aceita pagamentos da Fiat
Contra
  • Em Negócios somente desde 2016
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
No
Trading Fees:
Yes
Security Excelente Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
80 80
Pro
  • Comerciantes verificados oferecem serviços aos usuários da plataforma
  • Rápida reposição de depósitos e saques
  • Alta flexibilidade
  • Entrega totalmente sob custódia
Contra
  • Nenhuma aplicação móvel
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
0.1% USD, 5 USDT, 0.0005 BTC
Trading Fees:
0.008%-0.150%
Security Bom Trading
Futures? N/A
Derivatives? N/A
Margin Trading? até 100x
Visit Website
Fácil & Privado
64 64
Pro
  • Particular e rápido
  • Fácil de usar
Contra
  • Necessidade de ficar de olho em esquemas
  • Não adequado para grandes compradores
  • Agora a verificação da identificação é necessária.
Has been hacked? Yes Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
No
Trading Fees:
1.00%
Security Excelente Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
Muitas Altcoins
80 80
Pro
  • Interface de fácil utilização
  • Segurança - Códigos Yobi (códigos de depósito)
  • Moedas Grátis
Contra
  • Muitas Revisões Negativas
  • Taxas de retirada muito altas ( > 0,001 BTC)
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
Yes
Withdrawal Fees:
Yes
Trading Fees:
0.2%
Security Excelente Trading
Futures?
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
Melhor Suporte
60 60
Pro
  • Soberba liquidez, muitas vezes a melhor do mundo
  • Muitas opções avançadas de negociação
  • Taxas baixas
Contra
  • Às vezes os comerciantes estrangeiros têm problemas com a verificação
  • Bolsa de Valores da China (PBoC)
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
Na maioria dos casos não
Withdrawal Fees:
Yes
Trading Fees:
0.00%-0.10%
Security Excelente Trading
Futures? Yes
Derivatives? No
Margin Trading? até 3x
Visit Website
82 82
Pro
  • negociação de margem disponível também em altcoins menos conhecidos
  • opção para reduzir as taxas de negociação
  • símbolo nativo
Contra
  • não disponível para usuários dos EUA
  • O site não está completamente localizado para inglês
  • A KYC é necessária para a retirada
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
No
Withdrawal Fees:
No
Trading Fees:
0,04%
Security Bom Trading
Futures? No
Derivatives? Yes
Margin Trading? até 10x
Visit Website
66 66
Pro
  • regulamentado federalmente
  • Disponível em todos os 50 estados dos EUA
  • Boa liquidez e taxas competitivas
  • Mantém o BTC em câmaras frigoríficas, apoiado por uma reserva mínima auditada
Contra
  • Nenhuma aplicação móvel
  • Sem negociação de margem e venda a descoberto
  • Sem transferências ACH
Has been hacked? No Fees
Deposit Fees:
Yes
Withdrawal Fees:
Yes
Trading Fees:
0.20%
Security Excelente Trading
Futures? No
Derivatives? No
Margin Trading? No
Visit Website
Show more Bitcoin Exchanges

Melhor Troca de Bitcoins para Angola

Angola é um estado do Sudoeste da África. O feriado nacional é 11 de Novembro, Dia da Independência (1975). Angola faz fronteira com a Namíbia, Zâmbia, República do Congo, República Democrática do Congo e Oceano Atlântico – o exclave de Cabinda pertencente a Angola situa-se no norte entre a República Democrática do Congo e a República do Congo no Oceano Atlântico.

O nome Angola deriva do título Ngola dos Reis do Ndongo, um estado vassalo a leste de Luanda, no histórico Império do Congo. A região de Luanda recebeu este nome no século XVI pelos primeiros marinheiros portugueses que desembarcaram na costa e ergueram um Padrão, uma cruz de pedra, em sinal de ocupação pelo rei português. O nome foi estendido à região de Benguela no final do século XVII e depois, no século XIX, ao território (ainda não delimitado na altura) que Portugal ocupava colonialmente.

Com um produto interno bruto de 95,8 mil milhões de dólares (2016), Angola é a terceira maior economia da África subsariana, depois da África do Sul e da Nigéria. Ao mesmo tempo, grande parte da população vive na pobreza. No mesmo ano, o produto interno bruto per capita foi de USD 3.502 (USD 6.844 ajustado pelo poder de compra). Angola ocupava assim o 120º lugar mundial (com cerca de 200 países no total).

A economia angolana sofre as consequências de décadas de guerra civil. No entanto, graças aos seus recursos minerais – principalmente reservas de petróleo e mineração de diamantes – o país tem desfrutado de um grande boom econômico nos últimos anos. O crescimento económico de Angola é actualmente o maior de África. No entanto, as receitas provenientes dos depósitos de recursos não chegam à maioria da população, mas sim a beneficiários corruptos dentro dos governantes políticos e económicos do país e a uma classe média em formação lenta. Não sem razão, portanto, os empresários nacionais e estrangeiros elogiam Angola como uma espécie de paraíso. Uma grande parte da população está desempregada e cerca de metade vive abaixo da linha da pobreza, com diferenças drásticas entre as zonas urbanas e rurais. Um inquérito realizado pelo Instituto Nacional de Estatística em 2008 chegou à conclusão de que, nas zonas rurais, cerca de 58 % deviam ser consideradas pobres, mas nas cidades apenas 19 %, um total de 37 %.

Nas cidades onde mais de 50% dos angolanos se aglomeram, a maioria das famílias depende de estratégias de sobrevivência. É também aqui que a desigualdade social é mais evidente, especialmente em Luanda. Angola está sempre entre as últimas do Índice de Desenvolvimento Humano da ONU. Em 2008, Angola registou um valor muito elevado de 0,62 no Índice de Gini, que mede as disparidades de rendimento num país, e o Índice de Gini, que mede as disparidades de rendimento num país, mede o número de pessoas que vivem em Angola.

O desemprego situa-se nos 24,2% a nível nacional, com pouca diferença entre homens e mulheres. No entanto, existem grandes diferenças entre as províncias. Enquanto o desemprego é mais elevado na Lunda Sul (43%), Lunda Norte (39%), Luanda (33%) e Cabinda (31%), é mais baixo no Namibe e Huíla (17%), Malanje (16%), Cuanza Sul e Benguela (13%).

Os parceiros comerciais mais importantes para a exportação de bens e matérias-primas são os EUA, China, França, Bélgica e Espanha. Os principais parceiros de importao so Portugal, frica do Sul, EUA, Frana e Brasil. Em 2009, Angola tornou-se o maior mercado de exportação de Portugal fora da Europa, e cerca de 24.000 portugueses deslocaram-se para Angola nos últimos anos, procurando emprego ou criando ali empresas. No entanto, a presença da China sob a forma de um conjunto de grandes empresas é muito mais importante.

De fundamental importância para a população angolana é a economia paralela, que se desenvolveu durante a fase “socialista” e cresceu exponencialmente durante a fase de liberalização e que o governo está actualmente a tentar fazer recuar. Durante muito tempo, Angola esteve dependente das suas exportações de petróleo. O declínio do preço do petróleo teve um impacto severo no orçamento nacional do país do sudoeste africano. Há já alguns anos que tem vindo a tentar diversificar a sua economia – longe do petróleo apenas. Isto requer a expansão das infra-estruturas, a modernização do fornecimento de energia e melhores condições para os investidores privados.

No Índice de Competitividade Global, que mede a competitividade de um país, Angola ocupa a 137ª posição entre 140 países (em 2018). Fora da produção petrolífera, o desempenho da indústria nacional é muito fraco. O Estado exerce uma grande influência na actividade económica. Ao mesmo tempo, a corrupção é muito acentuada no sector estatal. No índice de liberdade econômica em 2018, o país ocupa, portanto, apenas 164 dos 180 países.

Elizabete Dias Dos Santos investiu 25 milhões de dólares americanos na sua fábrica de peixe em Solmar. A fábrica de processamento abriu no outono de 2016. Este tipo de produção em linha de montagem é único no setor em Angola. 120 pessoas trabalham na fábrica. Além disso, os fornecedores beneficiam porque mais de 50.000 pessoas vivem da pesca tradicional em Angola. 40 % das compras são feitas por pescadores de pequena escala. A fim de atrair investidores privados, o governo angolano melhorou as condições para as empresas nacionais e estrangeiras através, entre outras coisas, de concessões fiscais, ajuda no financiamento e procedimentos simplificados para a criação de empresas.

Na Aceria de Angola, a norte da capital Luanda, entrou em funcionamento em 2015 uma siderurgia com uma capacidade de 500.000 toneladas por ano. Foram investidos 350 milhões de dólares. A fábrica tem mais de 500 postos de trabalho e oferece formação a muitas pessoas. A usina principalmente recicla sucata e a utiliza para produzir aço estrutural para estruturas de concreto. O objetivo do operador libanês-senegalês Georges Fayez Choucair é exportar. Por conseguinte, a capacidade da fábrica é duas vezes superior à da procura angolana.

A central electrificou igualmente a região e abriu o abastecimento de água. Uma linha especial de alta tensão teve de ser instalada aqui. O desemprego na região caiu de cerca de setenta para cerca de vinte por cento. Fayez Choucair está convencido: “Não se pode investir num novo país, numa população completamente nova e chegar e instalar-se segundo o lema ‘Sou rico’ – não! Hoje é preciso conquistar a população, não se trata de um projeto individual, mas de um projeto conjunto”.

Indústria energética

Em 2011, Angola ocupou a 119ª posição mundial em termos de produção anual, com 5.512 milhões de kWh e a 114ª em termos de capacidade instalada, com 1.657 MW. Em 2014, a capacidade instalada foi de 1.848 MW, dos quais 888 MW em centrais térmicas e 960 MW em centrais hidroeléctricas.

Como apenas 30 a 40% da população está atualmente conectada à rede elétrica (a partir de 2014), o governo está planejando investimentos consideráveis (23,4 bilhões de dólares americanos até 2017) na área de fornecimento de eletricidade. Isso inclui a construção de novas usinas, investimentos em redes de transmissão e eletrificação rural. Várias usinas hidrelétricas serão construídas em Cuanza e Kunene para explorar o potencial hidrelétrico (estimado em 18.000 MW). O potencial hidroelétrico do Kunene já foi, no passado, uma base para projetos e investimentos parciais em planos extensos e nunca completamente realizados que foram desenvolvidos no âmbito do anterior projeto Cunene entre a África do Sul e Angola ou Portugal. A barragem de Laúca, com uma capacidade prevista de 2.070 MW, está actualmente em construção. Prevê-se que entre em funcionamento em julho de 2017.

Atualmente (abril de 2015), Angola não tem uma rede nacional, mas existem três redes regionais independentes para o norte, centro e sul do país e outras soluções de ilhas isoladas. Como resultado, os excedentes da rede norte não podem ser alimentados nas outras redes. De longe, a rede mais importante é a rede do norte, que também inclui a capital Luanda. Após a conclusão da barragem de Laúca, as três redes eléctricas serão também ligadas entre si.

O fornecimento de electricidade não é fiável em todo o país e está associado a cortes de energia regulares, que devem ser compensados pela operação de geradores dispendiosos. O preço por kWh é de 3 AOA (aprox. 2,5 cêntimos), mas é fortemente subsidiado e não cobre custos.

Disparidades regionais

Um problema estrutural da economia angolana são as diferenças extremas entre as diferentes regiões, em parte devido à prolongada guerra civil. Cerca de um terço da actividade económica está concentrada em Luanda e na província vizinha do Bengo, que se está a tornar cada vez mais na área de expansão da capital. Por outro lado, várias regiões do interior estão paralisadas ou mesmo em regressão. As claras diferenças económicas entre as regiões são pelo menos tão graves como a desigualdade social. Em 2007, 75,1% de todas as transacções comerciais e 64,3% dos postos de trabalho estavam concentrados em empresas comerciais (públicas ou privadas) em Luanda. Em 2010, 77% de todas as empresas estavam localizadas em Luanda, Benguela, Cabinda, Província de Kwanza Sul e Namibe. O PIB per capita em Luanda e na província vizinha do Bengo subiu para cerca de 8.000 USD em 2007, enquanto no centro-oeste de Angola ficou ligeiramente abaixo dos 2.000 USD graças a Benguela e Lobito, enquanto no resto do país ficou muito abaixo dos 1.000 USD. Desde o fim da guerra civil, a tendência para uma concentração da economia na faixa costeira, especialmente na “cabeça de água” Luanda/Bengo, não diminuiu, mas continuou, trazendo consigo um “esvaziamento” de grande parte do interior. Os números do crescimento global escondem assim o facto de a economia angolana estar a sofrer de desequilíbrios extremos.

Corrupção

Uma das características mais distintivas da actual Angola é a omnipresença da corrupção. Nos inquéritos da Transparência Internacional, o país aparece regularmente entre os mais corruptos do mundo, em África, numa categoria com a Somália e a Guiné Equatorial. Nos primeiros cinco anos do século XXI, estimava-se que as receitas do petróleo no valor de quatro mil milhões de dólares americanos, ou 10% do produto interno bruto de então, tinham desaparecido em resultado da corrupção.

A luta contra a corrupção tem estado na agenda do governo há anos, mas é muito raro provar que esta declaração de intenções está a ser posta em prática. Uma exceção notável no final de 2010 foi a demissão de dez chefes de departamento e quase 100 oficiais do Serviço de Migrações e Estrangeiros (SME), que é responsável não só pelo controle de fronteiras, mas também pela emissão de autorizações de entrada, residência e saída.

O novo presidente João Lourenço está aparentemente a tomar medidas decisivas contra a corrupção e o nepotismo. No seu primeiro ano de funções, substituiu vários governadores provinciais, ministros, altos funcionários públicos e gestores de empresas estatais, como a chefe da empresa petrolífera estatal Sonangol, Isabel dos Santos, filha do anterior presidente ou presidente do conselho fiscal do fundo petrolífero estatal, no valor de 5 mil milhões de dólares americanos, José Filomeno dos Santos, filho do antecessor. José dos Santos foi detido em Setembro de 2018 e é suspeito de transferir ilegalmente 500 milhões de dólares americanos do fundo soberano para o estrangeiro. Ele foi libertado da custódia em março de 2019 e tem estado à espera em casa para o seu julgamento desde então.

Indústrias

  • Mineração: Angola tem depósitos de petróleo offshore e minas de diamantes no nordeste do país e outros depósitos minerais no país. Os recursos minerais fazem de Angola um dos países mais ricos da África. Angola vende diamantes em bruto no valor de cerca de mil milhões de euros por ano. A partir de 2019, as pedras preciosas também serão processadas no próprio país para aumentar as receitas das vendas. No entanto, a maior parte da economia angolana vive do petróleo e dos seus produtos. Em 2016, o país foi o segundo maior produtor e exportador de petróleo de África, depois da Nigéria, com um volume de produção de 87,9 milhões de toneladas (ver tabelas e gráficos). De acordo com a OPEP, as receitas da produção petrolífera representam cerca de 95 % das exportações de Angola e 45 % do seu produto interno bruto. O principal comprador de petróleo é a República Popular da China, que substituiu os Estados Unidos como seu principal parceiro comercial. Em 1 de Janeiro de 2007, Angola tornou-se o 12.o membro da OPEP, mas só participa no regime de quotas desde Março de 2007. Em 1975, foram descobertos depósitos adicionais de urânio na fronteira com a Namíbia. Em Abril de 2019, foram descobertos depósitos de cerca de 23 mil milhões de toneladas de recursos minerais com conteúdos economicamente interessantes de metais de terras raras na província do Huambo, que deverão ser extraídos a partir de 2020.
  • Agricultura: Cerca de 85 % da população activa dedica-se à agricultura. O produto agrícola mais importante para exportação é o café, seguido da cana-de-açúcar. Outras exportações importantes são o milho e o óleo de coco. A produção de batatas, arroz e cacau também é digna de menção. A criação de gado bovino e caprino é relativamente generalizada. A agricultura como um todo ainda sofre severamente com as consequências da guerra civil. Devido ao perigo de se manterem minas terrestres, muitos agricultores recusam-se a cultivar os seus campos. A produção agrícola não é suficiente para cobrir as suas próprias necessidades, e a terra depende da importação de alimentos. A agricultura está a registar uma ligeira retoma.
  • Indústria: A indústria do país está pouco desenvolvida e sofreu com a guerra civil. A principal indústria de Angola é o processamento de produtos agrícolas, principalmente cereais, carne, algodão, tabaco e açúcar, juntamente com a refinação de petróleo. Outros produtos importantes são os fertilizantes, celulose, adesivos, vidro e aço.

Indicadores económicos

O produto interno bruto e o comércio externo de Angola cresceram maciçamente nos últimos anos devido ao aumento das receitas das exportações de petróleo. A queda dos preços do petróleo a partir de 2014 provocou uma quebra.

Investimento estrangeiro

Desde o fim da guerra civil, o investimento privado dos angolanos no estrangeiro tem aumentado constantemente. Isto deve-se ao facto de a acumulação no país estar concentrada num pequeno grupo social, que está interessado em diversificar a sua propriedade por razões de segurança e de maximização do lucro. O destino de investimento preferido é Portugal, onde os investidores angolanos (incluindo a família do presidente) estão presentes nos bancos e empresas de energia, nas telecomunicações e na imprensa, mas também na compra de adegas e propriedades turísticas, por exemplo.