GBP

O banco central do Reino Unido é o Banco de Inglaterra. Como a quarta mais transacionada moeda, a Libra Britânica é a terceira moeda detida em reserva no mundo. Os nomes comuns para a Libra Britânica incluem a Libra Esterlina, ESterlina, Quid, Cable e Nicker.

Importância da Libra Britânica

A Libra Britânica é a mais antiga moeda ainda utilizada nos dias de hoje, para além de ser uma das mais frequentemente convertidas moedas. Também tem o valor mais elevado entre as divisas. As Ilhas Falkland, Gibraltar e Santa Helena estão todos indexados em paridade à GBP.

Início da Moeda na Grã-Bretanha

Com as suas origens a datarem do ano de 760, a Libra Esterlina foi introduzida pela primeira vez como penny de prata, que se espalhou pelos Reinos Anglo-Saxões. Em 1158, o design foi alterado e ao invés da prata pura as novas moedas foram cunhadas com 92.5% de prata e passaram a ser conhecidas como a Libra Esterlina. As moedas de prata eram a única cunhagem utilizada em Inglaterra até o xelim ter sido introduzido em 1487 e a libra, dois anos mais tarde, em 1489.

Notas da Libra Britânica e o Padrão de Ouro

As primeiras notas de papel foram introduzidas em 1694, com a sua base legal a ser alterada da prata para o ouro. O Banco de Inglaterra, um dos primeiros bancos centrais no mundo, foi fundado um ano mais tarde, em 1695. Todas as notas esterlinas eram escritas à mão até 1855, quando o banco começou a imprimir todas as notas. No início do século XX, mais países começaram a indexar as suas divisas ao ouro. Foi criado um padrão de ouro, o que permitiu a conversão entre moedas de diferentes países e revolucionou as transações e a economia internacional. A Grã-Bretanha adotou oficialmente o padrão ouro em 1816, embora tenha utilizado o sistema desde 1670. A força da Esterlina que adveio do padrão ouro levou a um período de maior crescimento económico na Grã-Bretanha até 1914.

A Libra Britância e a Área Esterlina

A Libra Britânica não foi só utilizada na Grã-Bretanha, mas também circulou pelas colónias do Império Britânico. Os países que utilizaram a Libra passaram a ser designados por Área Esterlina e a Libra cresceu para se transformar globalmente popular, detida como moeda de reserva em muitos bancos centrais. Contudo, à medida que a economia Britânica começou a decair o Dólar Americano cresceu no seu domínio. Em 1940, a Libra foi indexada ao Dólar Americano à taxa de 1 Libra por $4.03 Dólares Americanos e muitos outros países acompanharam-na, indexando as suas respetivas divisas. Em 1949, a Libra foi desvalorizada em 30% e uma segunda desvalorização seguiu-se em 1967. Quando a Libra Britânica foi decimalizada e começou a oscilar livremente no mercado, em 1971, a Área Esterlina foi extinta. De seguida, a Libra Britânica viveu uma série de altos e baixos.

1976: Ocorreu uma crise esterlina e o Reino Unido recorreu ao Fundo Monetário Internacional para obter um empréstimo
1988: A GBP começou a fazer sombra ao Marco Alemão
1990: O Reino Unido juntou-se ao Mecanismo Europeu de Taxas de Câmbio, embora se tenha retirado do mesmo dois anos depois
1997: O controlo das taxas de juro passou a ser da responsabilidade do Banco de Inglaterra

Embora o Reino Unido seja um membro da União Europeia, ainda não adotou o euro como sua divisa.