Bolsa de Valores de Shanghai

A Bolsa de Valores de Shanghai (SSE) (Chinês: ?; pinyin: Shànghai zhèngquàn jiaoyì suo), é uma bolsa de valores que está sedeada na cidade de Shangai, China. É uma das duas bolsas de valores operando independentemente na República Popular da China, a outra é a Bolsa de Valores de Shenzhen. A Bolsa de Valores de Shanghai é a sexta maior bolsa de valores do mundo pela capitalização de mercado de US$2.3 triliões em dezembro de 2011. Ao contrário da Bolsa de Valores de Hong Kong, a Bolsa de Valores de Shanghai ainda não está inteiramente aberta a investidores estrangeiros devido ao apertado controlo de capital de conta exercido pelas autoridades da China.

A bolsa atual foi restabelecida a 26 de novembro de 1990 e estava em operação a 19 de dezembro do mesmo ano. É uma organização não lucrativa diretamente administrada pela Comissão Reguladore de Valores Mobiliários da China (CSRC).

A formação da Liquidação Internacional (áreas de concessão internacionais) em Shangai foi o resultado do Tratado de Nanking de 1842 (que terminou a Primeira Guerra de Ópio) e os subsequentes acordos entre os governos chineses e estrangeiros foram cruciais para desenvolver a transação estrangeira na China e a comunidade estrangeira em Shanghai. O mercado da transação de valores mobiliários em Shangau inicia-se no final de 1860. A primeira lista de ações aparaceu em junho de 1866 e então a Liquidação Internacional de Shangai desenvolveu as condições conducentes para a emergência de um mercado de ações: vários bancos, um enquadramento legal para empresas de ações conjuntas e uma interessante diversificação entre as casas de transação estabelecidas (embora as casas de transação em si tenham permanecido em parcerias).

Em 1891, durante o boom nas ações mineiras, os empresários estrangeiros fundaram a “Associação de Corretores de Shangai”, sedeada em Shanghai como a primeira bolsa de valores da China. Em 1904 a Associação candidatou-se para ser registada em Hong Kong sob a provisão da ordenação de Empresas e foi renomeada como a “Bolsa de Valores de Shangai”. O fornecimento de valores mobiliários veio em primeiro lugar de empresas locais. Nos dias iniciais, os bancos dominavam as ações privadas mas, por volta de 1880, somente os bancos locais de Hong Kong e Shangai permaneceram.

Posteriormente em 1920 e 1921, “a Bolsa de Valores Mobiliários & Mercadorias de Shangai” e “a Bolsa Chinesa de Comerciantes de Shanghai” iniciaram respetivamente a operação. Eventualmente em 1929, ocorreu uma fusão e os mercados combinados operaram posteriormente como a “Bolsa de Valores de Shangai”. Os transportes, seguros e bases de ligação permaneceram até 1940, mas foram ofuscadas por ações industriais do Tratado de Shimonoseki de 1895, que permitiram o Japão, e por extensão outras nações que tinham tratados com a China, para estabelecerem fábricas em Shangai e outros portos de tratado. As plantações de borracha passaram a ser o marco do início da transação de ações na segunda década do século XX.

Nos anos 30, Shanghai emergiu como centro financeiro para o Extremo-Oriente, onde quer os investidores chineses como os estrangeiros podiam transacionar ações, obrigações, títulos do governo e futuros. A operação da Bolsa de Valores de Shangai chegou a uma paragem abrupta após as tropas japonesas ocuparem a Liquidação Internacional de Shangai a 8 de dezembro de 1941. Em 1946, a Bolsa de Valores de Shanghai retumou as suas operações antes de fechar novamente 3 anos mais tarde em 1949, após a revolução comunista.

Após a Revolução Cultural ter terminado e Deng Xiaoping ter ascendido ao poder, a China reabriu-se ao mundo exterior em 1978. Durante os anos 80, o mercado de valores mobiliários da China evoluiu em paralelo com a reforma e abertura do país e desenvolvimento da economia de mercado socialista. A 26 de novembro de 1990, a Bolsa de Valores de Shangai foi reestabelecida e as operações começaram algumas semanas mais tarde a 19 de dezembro.